Mentalidade de sucesso na carreira médica

Mentalidade de sucesso na carreira médica

Outro dia recebemos uma médica querendo se juntar ao nosso Centro de Excelência em Saúde Infantil que fica na Vila Mariana. Ela nunca tever uma mentalidade correta para ter sucesso na carreira médica. Lá nós temos mais de 40 pediatras e quase todos possuem R3.

Essa médica já tem mais de 15 anos de pediatria e a expressão que usou ao falar conosco foi: “agora eu preciso ganhar dinheiro”.

Essa história é verídica, com lições importantes. Após 15 anos de especialização, você não quer chegar nessa fase e sentir que não está bem remunerado.

Se você é médico(a) em início de carreira ou está em situação parecida, preciso te desafiar.

 

Um exemplo paralelo da minha vida

Preciso te contar uma lição rápida da minha vida que pode ter um paralelo com a sua. É bom que você muda um pouco de assunto!

Há mais de 15 anos, me formei em Engenharia de Telecomunicações pelo Instituto Militar de Engenharia (“IME”), no Rio de Janeiro.

Poucos sabem mas o IME é a escola de engenharia mais bem avaliada do Brasil. Todos os anos ela alcança a melhor nota como instituição de ensino de engenharia e seus alunos são detentores das maiores notas do ENADE.

Como ocorre em toda boa instituição de peso acadêmico, passei meus anos escutando que genialidade e competência técnica me faria um profissional “diferenciado”.

Ser um “técnico”  brilhante devia ser minha aspiração de vida.

 

A decepção com o viés do meio acadêmico

Assim, durante 5 anos da minha vida aprendi muita matemática e física. Aprendi fazer contas de como colocar um satélite em órbita. E também a projetar sistemas de fibra ótica que levam intenet nas casas.

Fui trabalhar em consultoria e vi colegas que eram promovidos muito mais rápido que eu por terem o que chamamos de “soft skills”.

Que decepção. Descobri que “somente” ser um excelente engenheiro (talvez médico, no seu caso?) NÃO me levaria a alcançar minhas aspirações. O que o meio acadêmico tinha me ensinado…?

Na verdade, descobri livros e pesquisas que provavam que inteligência e brilhantismo técnico não eram definidores de sucesso na carreira corporativa. A partir de um certo nível, importavam mais os “soft skills”.

Ou seja, minha formação iria me levar só até a página 2, talvez a 3… com sorte. Eu queria chegar na 250. Quem tinha soft skills iria crescer muito mais.

Por acaso na medicina você já encontra algum paralelo?

 

A grande mudança

Você deve saber quem tem “soft skills” na sua turma de medicina. São aqueles colegas capazes de influenciar, socializar e transmitir uma boa imagem pra todo mundo.

Eu poderia ter continuado com os “pré-conceitos” inicialmente incutidos em mim. Mas preferi refletir e não levar para o pessoal.

Cheguei a conclusão que com “soft skills” eu poderia ter muito mais impacto e aplicar muito mais a parte técnica que me era forte.

O bom de ser engenheiro é que você aprende a aprender. E aprende rápido.

Me livrei do pré-conceito e comprei um bestseller: “Como fazer amigos e influenciar pessoas?” Imagina o shift de mentalidade.

Pra você entender, é como se um médico fazendo residência ou mestrado com o chefe de uma prática do Einstein ou da USP, por exemplo, resolvesse comprar um livro de marketing de instagram e começar um perfil.

 

Resultados

Minha mente explodiu. Desconstrui “verdades” estúpidas e refiz hábitos que deterioravam minha imagem e limitavam meu sucesso. Passei a investir muito da minha cabeça no tema.

Para você ter ideia, criei o hábito de sorrir para as pessoas (uma obviedade, né?). Eu tinha uma expressão muito fechada até então.

Meu sucesso na carreira nos momentos que se seguiram estava muito ligado ao que aprendi nessa fase.

 

O paralelo com a carreira médica

Por que estou te falando isso?

Muitos médicos em formação parecem viver ou relatam ter vivido, na medicina, uma bolha “irmã” dessa ai que eu vivi. Fazem graduação, R1 e R3 sempre focados em se desenvolver tecnicamente.

Continuam em uma dependência e foco técnico naquele mentor ou professor que ensina tudo sobre a especialização.

Aquela médica que mencionei no início é um exemplo típico.

Você termina seu R1 ou R3 com entre 27 e 32 anos e não sabe como ganhar dinheiro com medicina. E se não aprender, pode perder mais 10, 15, ou até a vida toda e não ser remunerado.

 

“Agora eu preciso ganhar dinheiro”

 

Entenda que o que eu falo não tem relação com ganhar dinheiro no tom de ambição ou ganância. De jeito nenhum.

É que você não consegue viver seu propósito plenamente se suas contas não estiverem bem pagas, ao ponto que você consiga também desfrutar bem de sua própria vida.

A verdade é que a carreira de especialista que paga super bem, está disponível para pouquíssimos médicos.

Pense bem: quantas vagas existem em hospitais renomados, aqueles que pagam grandes salários, para um especialista renomado?

“a carreira de especialista que paga super bem, está disponível para pouquíssimos médicos.”

Eu fiz umas contas de engenheiro. São +500 mil médicos no Brasil. Estimo que menos de 0,1% dos médicos tem oportunidades ímpares junto a grandes corporações de saúde, aquelas que pagam mais de R$ 30 mil reais por mês para que um único especialista esteja em seu quadro.

 

Qual o caminho então?

No final, você vai ter que construir seu nome e seu negócio. E um R1 e um R3 só te dão títulos. Ajudam, claro. É fundamental estudar.

Mas infelizmente, ainda mais hoje em dia, o título está longe de te assegurar que você vai ser bem remunerado e viver o que sonhou na sua profissão.

São inúmeros médicos, de graduandos a experientes, que relatam ter perdido muito tempo e se queixam de não estarem bem remunerados.

O que estou sugerindo então?

Estou sugerindo que você não perca tempo.

Estou recomendando que você dedique tempo a aprender a gerenciar seu negócio de saúde e o seu nome.

Os assuntos aos quais você escolhe dedicar tempo para se preparar vão afetar diretamente suas decisões e seus anos logo após concluir sua jornada de estudos na área médica.

Você pode se preparar bem e em um ano construir um consultório que te realiza. Aquele cheio de pacientes, casos de sucesso e boa remuneração.

Ou você pode concluir seu “R1/R3”  fantástico e ao final estar perdido. Divagar entre as diversas opções. Pensar em se juntar com um ou dois colegas para tentar começar um consultório…

Ou de repente colar naquele especialista mentor que gosta de você…

Ou tentar ajuda de algum conhecido para se filiar a um convênio e conseguir volume.

Quem sabe o que vai dar certo, não é mesmo? Para quem está perdido, melhor ir tentando um pouco de tudo…

“Os assuntos aos quais você escolhe dedicar tempo para se preparar vão afetar diretamente seus anos logo após você concluir seus estudos na área médica.”

Deixa eu te falar… O que vai fazer a diferença é você quebrar a bolha.

Eu tive que comprar um livro e iniciar uma nova jornada de aprendizado que mudaria minha cabeça para sempre. Se pagou rápido. Se hoje consigo trabalhar e me sentir cumprindo meu propósito de vida, aquele momento de virada foi crucial.

Eu poderia te falar que você deve seguir recomendações mirabolantes de sucesso ou algum “7 passos para um consultório de sucesso”.

Mas sem te trazer uma reflexão, não adianta nada. Você precisa de uma mentalidade de sucesso para a carreira médica.

Sem uma mentalidade de sucesso para a carreira médica, as receitas que eu te prescrever podem funcionar temporariamente para eliminar os sintomas (na sua trajetória), mas eles vão mascarar o real diagnóstico. E depois pode ser tarde demais.

 

Reflexão: você tem a mentalidade de sucesso para a carreira médica?

Quanto tempo você tem dedicado a aprender o mínimo sobre gestão na área de saúde? O que você pensa sobre sua imagem? Sobre seu marketing pessoal?

Quais as três pessoas que você admira mais?

Quanto tempo você investiu em todo seu período de estudos, desde o primeiro ano de medicina, nesses temas? 30%, 10% ou menos de 1%?

Eu vi muitos colegas continuarem na mesma mentalidade da época de faculdade. Pessoas de potencial excepcional que não entenderam que poderiam ter um impacto muito maior se focassem em outros skills.

Também entendo que as vezes não é o que gostamos ou queremos. Mas focar só no que gostamos nem sempre traz os resultados que gostaríamos de ter. Mas é super ok, se você está consciente.

Para ter sucesso como médico, você precisa dominar aspectos de gestão na área da sáude. Assim você conseguirá levar seus bons serviços e conhecimento para muito mais gente. Ajudar muito mais gente. E ainda ser bem remunerado por isso.

Que se você for bom de atendimento (não é uma obviedade, então clique aqui para saber mais) e marketing, vai conseguir se divulgar para muito mais pessoas. Vai distribuir seu conhecimento e ajudar  mais pessoas. Isso não é contribui para o seu propósito?

Além disso, ao não entender as mudanças em curso, você abre espaço para que profissionais ruins ocupem posições de destaque.

Você é mais que um médico. Você nasceu para liderar.

E toda liderança saudável, começa com liderar a si mesmo. E sua forma de pensar é o início de tudo.

 

 


Sobre o Autor

Fernando Andrade Jr foi consultor sênior da McKinsey & Company, uma das consultorias mais renomadas no mundo, onde trabalhou em nos temas de cultura centrada no cliente e de jornada de experiência do cliente. Decidiu fundar o Bric Health, com a aspiração de contribuir significativamente para uma saúde mais justa para médicos e pacientes. É formado em Engenharia de Telecomunicações pelo Instituto Militar de Engenharia, possui também MBA pela London Business School.

 

Consultório próprio

5 passos essenciais para montar o seu consultório próprio

Quer conquistar o sonho de montar o seu consultório próprio e ainda não sabe muito bem como começar? Confira os 5 passos essenciais para você começar a construir esse sonho com maior tranquilidade.

É o sonho de muitos profissionais de saúde, principalmente os que acabaram de concluir a residência, ter o seu próprio consultório, pois com ele é possível ter mais autonomia tanto nos horários, quanto na metodologia de trabalho. 

Mas para se conseguir sucesso ao final dessa jornada é necessário enfatizar que você terá muito esforço e trabalho, além da necessidade de possuir um conhecimento prévio de como deve ser feito. 

Por essa razão, para obter êxito você precisa planejar muito bem o que será feito! E, para te ajudar nessa jornada, separamos esse começo em 5 passos, para que você possa ter um “norte” no momento de montagem do seu consultório!  

Então, aqui vai os 5 passos indispensáveis para conseguir sucesso na abertura do seu consultório! 

 

1. Defina a sua área de atuação

A ANS (Agência Nacional de Saúde) divide os consultórios médicos em 54 categorias. Por isso, a definição do seu tipo de estabelecimento é de extrema importância e um dos primeiros passos que você precisa ter para montar seu consultório.

A definição da categoria do seu consultório também está ligada diretamente ao regime tributário junto ao governo.

Sendo assim, é importante que você procure decida com base na classificação não só da ANS, mas também a tributária. Isso fará você economizar no pagamento dos impostos. 


2. Escolha a melhor localização possível 

Escolher o local que você montará seu consultório é algo de extrema importância, pois levar seu consultório para outro local irá precisar de mais recursos financeiros e tempo. Então, faça uma escolha consciente. 

Uma boa maneira de definir um local é analisar onde o seu público alvo mora e mais frequenta. Pense se o local é de fácil acesso, seguro, que tenha a possibilidade de ampliar, caso o seu consultório cresça futuramente. 

Uma boa estratégia, pode ser escolher um local mais central, pois fica ao alcance de boa parte das pessoas e geralmente o acesso é mais fácil. 

 

3. Fique de olho na documentação necessária 

Antes de abrir seu consultório e começar os atendimentos é necessário regulamentá-lo. Você sabe quais são as exigências sanitárias e jurídicas necessárias? Listamos as principais para você! 

  • Alvará de funcionamento;
  • Autorização da vigilância sanitária;
  • Registro do consultório como pessoa jurídica (CNPJ);
  • Autorização do corpo de bombeiros;
  • Conselho regional;
  • Cadastro na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE);
  • Cadastro Nacional de Estabelecimento em Saúde (CNES).

 

4.Conte com uma equipe de atendimento de excelência 

Um bom atendimento faz todo o diferencial em qualquer estabelecimento, não é mesmo? Dessa forma é ineficaz montar um consultório e não possuir um bom atendimento.

Antes de mais nada, escolha as pessoas que são comprometidas, responsáveis, atenciosas e que praticam a empatia. Após a escolha, observe como se comportam nas atividades e vá dando feedbacks e trabalhe nos pontos de melhorias junto com elas.

Além disso, lembre-se de escutar os feedbacks dos seus pacientes, eles podem ser valiosos para a melhora constante do seu consultório!

Para saber mais da importância do atendimento e como ele pode ser um diferencial clique aqui.

 

5.Utilize ferramentas que ajudarão você e sua equipe 

O avanço da tecnologia tem facilitado a execução das atividades de vários empreendimentos e na área da saúde não seria diferente. Com o uso de ferramentas os consultórios possuem a oportunidade de multiplicar seus resultados, trabalhar seus pontos de melhoria e conseguir mais pacientes. 

Com sistemas de gestão do seu consultório, você pode organizar melhor não só as informações dos seus pacientes e agendamento de consultas, mas também ter um maior controle do financeiro do seu consultório (o que é de extrema importância nesse primeiro momento). 

Portanto, ter ferramentas que facilitem o seu trabalho irá possibilitar que você invista mais do seu tempo, trabalhando no seu sonho de ter um consultório próprio de sucesso! 

Te convidamos a conhecer o Bric Health, uma plataforma totalmente pensada para facilitar o seu dia a dia no consultório. Clique aqui e teste gratuitamente!

Marketing médico

Marketing médico nas redes sociais: as 5 coisas que você precisa saber

 

Marketing médico nas redes sociais: existem coisas importantes que você precisa saber.

A mídia social se tornou amplamente utilizada por indivíduos e empresas para se manterem conectados. Outra função importante das mídias sociais é a comercialização de produtos ou serviços. 

Nesse contexto, os profissionais de saúde estão encontrando maneiras novas e eficazes de utilizar a mídia social.

Mídia social e saúde

Muitos profissionais de saúde estão trabalhando para utilizar efetivamente as mídias sociais para envolver pacientes. Por meio de estratégias eficazes de marketing médico, agências e empresas seguem se afastando das técnicas tradicionais de publicidade. Assim, começam a usar a Internet para promoção dos médicos.

Do outro lado, os consumidores confiam fortemente nas informações encontradas online. Nesse sentido, os pacientes passam a usar a Internet para reunir informações de saúde. Assim, conseguem se se conectar com outros profissionais e pacientes.

Nesse contexto, muitos utilizam o recurso para pesquisa ou para compartilhar experiências;

É essencial que os profissionais sejam ativos nas redes sociais, bem como forneçam informações precisas. É importante também se conectar com os seguidores.

Veja agora 5 pontos importantes quando falamos em marketing médico nas redes sociais.

1. Compartilhe informações

A mídia social tem como objetivo fornecer aos indivíduos a capacidade de acessar informações rapidamente e se comunicar com outras pessoas. As organizações de saúde utilizam essa ferramenta de várias maneiras. Um exemplo recente é o compartilhamento de informações relevantes sobre o Covid-19. 

Afinal, compartilhar notícias sobre surtos ou riscos à saúde é uma forma eficaz  adotada pela instituições de saúde, para fornecerem informações precisas aos pacientes.

2. Marketing médico: compare e melhore a qualidade

Outra maneira eficaz de os profissionais de saúde utilizarem as mídias sociais é avaliarem como seus concorrentes se posicionam. 

Ao examinar as diferentes práticas e seu envolvimento nas mídias sociais, os profissionais pode fazer semelhante, porém com originalidade.

Em resumo, observar também a interação deles na mídia social deles é muito importante. 

3. As páginas de mídia social devem refletir a marca

O que mais representa a sua organização de saúde?

É o próprio edifício? Os doutores? Um logotipo? Sua lista de serviços ou produtos? Ou é algo mais do que isso?

Acreditamos que sua marca é mais do que apenas um logotipo. Para uma organização de saúde, uma boa marca geralmente reflete a maneira como você faz as pessoas se sentirem.

Um bom ponto de partida para desenvolver sua marca é se concentrar no “depois”. Ou melhor, no resultado da experiência que aquele paciente terá.

Que tipo de alívio, paz de espírito ou resultado alguém pode esperar ao escolher você para cuidados ou tratamento?

Portanto, sua imagem de perfil, imagem de capa e postagens devem refletir quem você é, como marca – e isso é mais do que apenas um logotipo.

4.As imagens devem ser otimizadas para celular

Quando você está construindo uma página corporativa no Facebook do zero, é provável que você esteja fazendo isso em um computador desktop. É fácil esquecer que a maioria das pessoas está realmente acessando sua página de seus dispositivos móveis.

Na verdade, cerca de 80% do uso de mídia social ocorre em um dispositivo móvel. A maneira como uma imagem aparece em um computador desktop pode não ser a mesma que aparece em um smartphone – principalmente com a imagem da capa.

Afinal, quando o texto ou as imagens vão até as bordas de uma foto grande, geralmente são cortados em um dispositivo móvel. Isso é válido tanto para o Facebook quanto para o Twitter. A melhor maneira de descobrir? Baixe os aplicativos em seu telefone para testar a compatibilidade com dispositivos móveis.

5. As postagens devem seguir a regra 80/20 no marketing médico

Não tem certeza do que dizer  no feed do Twitter ou Facebook? Recomendamos seguir a regra 80/20: as postagens devem ser 80% informativas e 20% promocionais.

Quatro em cada cinco posts devem informar, entreter ou educar. Você pode compartilhar artigos do seu próprio blog ou de um site de notícias confiável. Outra opção é fornecer dicas úteis de saúde ou nutrição ou informações sobre uma condição específica (desde que não sejam muito explícitas). Até o compartilhamento de receitas saudáveis é válidp.

Em síntese, o foco são conteúdos capazes de promover o compartilhamento.  Esse tipo de postagem dá valor ao seu público. É um motivo para segui-lo  e algo para compartilhar com seus próprios amigos e familiares. Especialmente as postagens “compartilháveis” contêm vídeo (e esses são priorizados nos algoritmos do Facebook), embora as imagens sejam sempre melhores do que as postagens de texto puro.

Em resumo, apenas uma em cada cinco postagens deve ser promocional. É perfeitamente normal falar sobre sua localização mais recente ou reiterar suas credenciais. Mas mantenha essas postagens em 20%, se possível. Na área da saúde, muitas vezes é possível fazer uma postagem informativa e promocional – como nesta postagem que lembra a importância dos exames anuais das mamas, ao mesmo tempo que fornece um link para agendar uma consulta.

Gostou do conteúdo? Continue então acompanhando o blog do Bric para ver mais artigos interessantes!

Marketing médico: limitações legais

Marketing Médico: limitações legais

 

Nos tempos atuais, todas as clínicas, desde as mais novas até as já bem estabelecidas, precisam de marketing médico.

O marketing médico pode fazer uma clínica crescer exponencialmente. Uma boa divulgação também pode tornar seu nome conhecido em toda sua região alvo.

Contudo, como todo tipo de propaganda, o marketing médico possui limitações legais para seguir. Veja quais são. 

Marketing médico ilegal

O responsável por normatizar e fiscalizar a prática da medicina no Brasil é o CFM (Conselho Federal de Medicina).

Ele define algumas regras claras que devem ser seguidas no marketing dessa área, cujas principais falamos abaixo.

Selfies com pacientes

As selfies são uma mania das redes sociais, as pessoas tiram uma sempre quando podem, seja com a comida no almoço, com os amigos na rua, em uma viagem ou mesmo na sala de aula.

Contudo, selfie e consultórios não combinam, até porque muitos procedimentos podem causar constrangimentos no paciente.

Imagine um paciente que está sob efeito de anestesia, de algum medicamento ou procedimento: ele não está em seu juízo perfeito, então, seria fácil convencê-lo a tirar uma selfie para postar nas redes sociais. Desse modo, é proibido um médico fazer esse tipo de propaganda problemática.

Preços apelativos

 Divulgar preço sempre foi um tabu na medicina. Então, esse tema é bastante sensível no meio.

 Antes da lei n° 2.226/2019, era permitida somente a divulgação interna de valores, ou seja, dentro de uma clínica.

 Agora, com a nova lei, os preços de exames, consultas e procedimentos podem sim ser divulgados, contudo, não de forma sensacionalista e apelativa, como dizer  “cobrimos qualquer orçamento” ou ” menor preço da região”.

 Além disso, durante uma entrevista, é proibido divulgar preços, já que elas possuem caráter meramente informativo.

Promessas de resultados garantidos

 É comum vermos por aí promessas de investimentos com lucro garantido ou produtos que fazem milagres na pele na primeira semana de uso.

Para o marketing médico, é proibido fazer promessas nos anúncios. Isso porque todo tipo de procedimento tem seus riscos, nada é tão simples para que um médico possa garantir 100%.

Induzir as pessoas a fazerem determinado procedimento sem elas saberem dos seus reais riscos é um ato criminoso.

Fiscalização do marketing médico

As normas de marketing médico são fiscalizadas por conselhos regionais que investigam condutas ilegais e violações.

Quando identificadas, estas ações são passíveis de advertências, multas e até suspensão de licença (dependendo da gravidade da situação).

Práticas permitidas de marketing médico

As ações corretas de marketing médico são aquelas permitidas pelo CFP  e promovem a livre concorrência e conscientizam as pessoas sobre cuidados com a saúde.

Em vista disso, podemos tomar as atitudes a seguir no marketing médico:

Marketing médico nas redes sociais: pode

Oferecer um atendimento de qualidade com um atendimento de ponta é algo totalmente legal que produz resultados muito positivos no marketing médico.

As pessoas, muitas vezes, possuem dúvidas acerca de exames, procedimentos, consultas, etc. Com essa demanda, você pode deixar pessoas responsáveis pelas suas redes sociais, a fim de que seus pacientes sejam respondidos o mais rápido possível com toda atenção e carinho.

Não subestime o valor de um atendimento de qualidade, pois ele pode garantir marketing gratuito para você, além de fidelizar mais seus clientes.

Pessoas que são mal atendidas fazem questão de fazer comentários negativos nas redes sociais, assim como pessoas bem atendidas fazem questão de elogiar seu trabalho.

Criar material informativo e explicativo

O grande chamariz do marketing médico, sem dúvida, é o conteúdo informativo nas áreas em que você é especialista.

Então, em suas redes sociais, se foque em fazer posts explicando procedimentos, métodos para se cuidar, como funcionam doenças e problemas de saúde, etc.

Mantenha uma linguagem de acordo com o público que você quer atingir, mas, de  preferência, seja o mais explicativo possível para beneficiar o máximo possível de pessoas.

Conceder entrevistas

Além de postagens, conceder entrevistas é um ótimo meio para garantir que as pessoas o vejam como um especialista confiável na sua área. Você sabia disso?

E, principalmente quando falamos da saúde das pessoas, confiança é fundamental. Então, sempre busque parecer seguro nas suas palavras.

Continue sempre acompanhando o blog do Bric para  ter acesso a mais conteúdos interessantes como este!

Dicas para decoração de consultórios

Dicas de decoração de consultório

 

Dicas de decoração de consultório: veja aqui como cuidar melhor desse espaço.

Os pacientes costumam passar mais tempo na área da recepcionista do consultório médico do que propriamente com o médico.

Uma decoração médica apropriada e interessante pode melhorar a experiência do seu paciente e a imagem geral do consultório médico. 

Mostre aos seus pacientes o quanto você se importa com eles, escolhendo uma decoração de bom gosto e confortável. Sempre mantenha sua decoração em dia, atualizando frequentemente o visual.

Dicas de decoração do consultório

Veja agora algumas dicas de decoração de consultórios.

Atender à clientela

Pense no grupo demográfico atendido pelo seu consultório médico para que a decoração que você escolher seja adequada para sua clientela.

Se você possuir um consultório pediátrico, crie um ambiente convidativo para as crianças. Torne a área colorida, espaçosa e envolvente para as crianças, o que inclui uma área de recreação ou área de entretenimento.

Se o seu escritório atende principalmente pacientes idosos, use um esquema de cores e decorações suaves que os pacientes mais velhos possam apreciar, como fotos históricas. Certifique-se de que seu assento seja confortável e todos os visuais sejam fáceis de ler.

Anuncie suas Credenciais Médicas

Se o seu consultório médico oferece serviços essenciais ou trata de doenças graves, coloque as credenciais do médico na área de recepção para aliviar a ansiedade do paciente. 

Em vez de olhar para paredes em branco, os pacientes podem ler sobre as qualificações do médico e passar o tempo conhecendo-a melhor. 

Além de diplomas de medicina, você pode decorar a área com outros certificados, como certificados de agradecimento recebidos por apoiar organizações comunitárias ou realizações pessoais.

Crie um ambiente relaxante

Os pacientes podem ficar nervosos ao aguardar na área de recepção. Eles podem estar doentes ou preocupados com sua saúde ou a de um ente querido. 

Eles podem até estar esperando mais tempo do que acham razoável. Crie um ambiente que alivia parte do estresse que seus pacientes sentem naturalmente.

Use tons relaxantes e decore com plantas e enfeites de parede atraentes que são universalmente agradáveis – com belas paisagens ou pessoas sorridentes, por exemplo. Publique ditos inspiradores onde os pacientes possam lê-los.

Decoração educacional ou sazonal

Você tem muitos temas para escolher para inspirar sua decoração. A decoração sazonal ou festiva geralmente cria uma atmosfera positiva para os pacientes. Ou use um tema educacional, como conscientização sobre diabetes ou prevenção do câncer de mama, como base para a decoração.

A decoração em torno de um tema permite que você compartilhe informações ou elogios sazonais com seus pacientes enquanto eles esperam.

Cadeiras são melhores do que sofás

A maioria das pessoas não gosta de compartilhar. Ter sofás na sala de espera tornará a cena mais desconfortável para seus pacientes. 

As cadeiras são mais pessoais e as cadeiras sem braços são perfeitas para pacientes com deficiência ou grávidas.

A televisão na sala de espera reduz o tédio, mas também pode aumentar o estresse. Os pacientes podem discutir sobre a seleção de programas ou escolher programas que outros consideram controversos, inadequados ou ofensivos.

Em uma época em que a maioria dos telefones podem acessar a Internet, uma TV em espera pode ser um aborrecimento desnecessário para sua prática.

Escolha a decoração com cuidado

Crie um

 acolhedor e positivo com a decoração do escritório. Use cortinas e persianas para absorver o som e as cores da sala para criar uma atmosfera alegre e amigável ao paciente. 

Maximize a luz solar natural (enquanto protege a privacidade do paciente). As lâmpadas fluorescentes espalham a luz de maneira uniforme e melhor para os leitores, enquanto as lâmpadas incandescentes trazem um aspecto mais convidativo e caseiro.

Salas de exame maiores e amigáveis para o paciente

A sala de exame deve ser grande o suficiente para acomodar confortavelmente o médico, uma enfermeira ou assistente, o paciente e pelo menos um membro da família. 

A sala de exame deve ser compatível com o tamanho de uma cadeira de rodas e capaz de acomodar futuros acréscimos de tecnologia. Dados esses requisitos, o tamanho ideal para uma sala de exame é de 3 por 3 metros; salas menores logo se tornarão obsoletas.

Para proteger a privacidade do paciente, faça com que a porta da sala de exame se abra para dentro. A mesa de exame deve ser posicionada diagonalmente, facilitando o acesso em ambos os lados da mesa. A mesa de exame também deve ser ajustável para manter o paciente ainda mais confortável.

Continue a leitura para ver mais dicas de decoração de consultórios.

Das dicas de decoração de consultório, essa é a principal

Mantenha a sala limpa.

A sala de espera é a primeira sala que os pacientes veem e o que eles mais associam à sua prática. Torne-o tão calmo, confortável e limpo quanto um saguão de hotel. Recolha o lixo a cada hora.

Certifique-se de que a mesa da recepcionista não tenha papéis desnecessários. Convide seus pacientes em um espaço amigável.

Aposte em vistas calmantes

Incorporar luz natural, janelas com vista para a vegetação e jardins ou plantas em todos os consultórios médicos  beneficia enormemente os pacientes. Visões da natureza têm uma capacidade bem documentada de acalmar e curar. 

Gostou das dicas de decoração de consultório? Continue sempre acompanhando o nosso blog e as nossas redes sociais!